Ir para o conteúdo

Ir para o conteúdo

Câmara Municipal de Lins-SP
Acompanhe-nos:
Facebook
CM de Lins no YouTube
Webmail
Notícias
Enviar para um amigo!
Indique essa página para um amigo com seus dados
Obs: campos com asterisco () são obrigatórios.
Enviando indicação. Por favor, aguarde...
JUL
09
09 JUL 2020
IMPRENSA
Vice-presidente da Câmara, vereador Ademir Chiarapa, participou de ato em homenagem aos ´Soldados Constitucionalistas de 32´

Na última quinta-feira, dia 9 de julho, o vice-presidente da Câmara de Lins, vereador Ademir Chiarapa (SOLIDARIEDADE), participou de ato em homenagem aos soldados constitucionalistas que participaram da “Revolução de 1932”. Além de Chiarapa, esteve presente: o prefeito Edgar de Souza (PSDB), o vice-prefeito Carlinhos Daher (PSDB), o Tenente-Coronel, do 37º BIL, Romar Lira Gonzales e o 1º Tenente da Polícia Militar, Marçal.

 A solenidade foi realizada junto ao Mausoléu do Soldado Constitucionalista, na Praça Coronel Joaquim Piza, onde estão sepultados três dos quatro voluntários homenageados: Vitoriano Borges, Mário Camargo, Rosalino Silva e João Batista de Araújo.

O feriado, comemorado apenas no estado de São Paulo, é uma homenagem à Revolução Constitucionalista de 1932, um dos acontecimentos mais marcantes do Brasil.  Este ano, porém, devido à pandemia do coronavírus, o feriado foi antecipado para o dia 25 de maio numa tentativa de incentivo ao isolamento e, assim, evitar aglomerações

 SAIBA MAIS

Comemorada anualmente no dia 9 de julho, a Revolução Constitucionalista de 1932 está entre os maiores conflitos civis da história do Brasil e é um dos mais importantes acontecimentos políticos do país. Ocorrido no estado de São Paulo, o movimento tentou impedir a continuação do governo provisório de Getúlio Vargas, instaurado em 1930. Os revolucionários exigiam uma nova Constituição e eleições presidenciais. Foram três meses de conflito.

No início de 1932, Getúlio tentou conter a pressão popular organizando uma comissão encarregada de elaborar um novo Código Eleitoral.

Em fevereiro de 1932, o código foi publicado e o civil Pedro de Toledo foi nomeado interventor para o Estado de São Paulo. Em maio, Vargas marcou a data das eleições para dali a um ano. As medidas não foram suficientes para conter a conspiração política. Sociedades civis tramavam secretamente para derrubar o governo. Finalmente, em 9 de julho, o movimento ganhou as ruas da capital e do interior de São Paulo

A revolução recebeu apoio de vários setores da sociedade paulista. Estudantes, intelectuais, políticos ligados à República Velha ou ao Partido Democrático pegaram em armas durante os três meses de luta. O conflito armado ficou restrito ao Estado de São Paulo. Os governos do Rio Grande do Sul e Minas Gerais, a princípio simpáticos à constitucionalização, não quiseram enfrentar a força militar do governo federal. Sozinhos, os paulistas não conseguiram manter a revolução e assinaram rendição em outubro de 1932.

A revolta civil despertou o governo para a necessidade de acabar com o perfil revolucionário do regime. Isso acabou acontecendo em maio de 1933, quando foram realizadas eleições para a Assembleia Nacional Constituinte, que mais tarde elaboraria a Constituição de 1934.

*Com informações, Revista Problemas Brasileiros, FGV (Fundação Getúlio Vargas).

Fonte: Assessoria de Comunicação da Câmara Municipal de Lins | Jornalista Ricardo Rodrigues.
Rodapé
Endereço Rua Maestro Carlos Gomes, 22 - Centro
CEP: 16400-155
Telefone (14) 3533-2626
Atendimento Atendimento ao Público: segunda-feira das 13hs às 15hs e terça a sexta das 13hs às 17hs Newsletter Inscreva-se e receba informativos
da Câmara Municipal de Lins
© Copyright Instar - 2006-2020. Todos os direitos reservados - Instar Tecnologia
Seta
Copyright Instar - 2006-2020. Todos os direitos reservados - Instar Tecnologia Instar Tecnologia